DOE SANGUE      SALVE VIDAS      
  • Sintonia

UFSCAR | Laboratório a céu aberto em Lagoa do Sino

Projeto Fazenda Produtiva apoia a formação de futuros profissionais e gera recursos para o Campus.

Por Paula Daniela Zigante Bertocco

Fonte Portal UFSCAR


foto: professor Paulo Guilherme Molin

O Projeto "Fazenda Produtiva - Lagoa do Sino", da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), desenvolvido no campus de Lagoa do Sino, é um exemplo de sucesso de integração entre ensino, pesquisa e extensão. O Projeto envolve toda a comunidade acadêmica e é um laboratório a céu aberto. 


Com 643 hectares, a Fazenda mantém sua produtividade no plantio, colheita e comercialização de grãos (milho, soja e outros) e hortaliças. É cenário de prática das atividades de ensino, pesquisa e extensão do Centro de Ciência da Natureza (CNN). "Organizamos o sistema de ensino, pesquisa, extensão e produção agrícola do campus Lagoa do Sino para viabilizar as atividades. A integração com a comunidade da região também foi importante. Os resultados são muito positivos, destaque para o superávit de meio milhão de reais que está sendo revertido em melhorias no próprio campus", contou a reitora da UFSCar, Wanda Hoffman.


O Projeto contribui para o enriquecimento das atividades acadêmicas e científicas e, simultaneamente, constrói um modelo de gestão sustentável para ser aplicado diretamente no campus de Lagoa do Sino. "O Projeto Fazenda Produtiva Lagoa do Sino é um projeto de extensão (ProEx 3813/2018-27 - Fazenda Produtiva de Lagoa do Sino - FP-LS) que, de forma direta e indireta, tem contribuído muito para o desenvolvimento de atividades acadêmicas e de pesquisas, além de gerar recursos que estão sendo investidos no próprio campus", explica Aparecido Júnior Menezes, Pró-Reitor Adjunto de Administração MultiCampi.


Além de estudantes bolsistas, o projeto conta com estudantes voluntários que desempenham várias funções na Fazenda. Eles auxiliam na gestão ao mesmo tempo em que aperfeiçoam a prática profissional. São estudantes dos cursos de Administração, Ciências Biológicas, Engenharia Agronômica, Engenharia Ambiental e Engenharia de Alimentos. "Minha experiência foi extremamente enriquecedora no âmbito pessoal e profissional, pois tive contato com profissionais capacitados que agregaram no meu conhecimento", contou Marcela Borges Munhoz, do 5º ano de Engenharia Agronômica.


"Participar do Projeto da Fazenda foi muito prazeroso, agregou muitos conhecimentos. Nós aprendemos com a rotina do dia a dia, visitando a Fazenda e checando o andamento de tudo. Foi uma oportunidade muito grande de exercer ali, a nossa profissão de administrador", afirmou o estudante do curso de Administração, Marcelo Ferreira Soares Coelho.


O Projeto também agregou conhecimento para Giovana Teixeira da Penha, estudante do 3º ano de Engenharia Agronômica. "Estagiar na Fazenda me permitiu aprender de forma prática e dinâmica os conteúdos abordados em sala de aula, agregando conhecimento tanto na minha vida profissional, como na minha vida pessoal", contou. 


Para Pâmella Antunes Meirelles de Freitas, do 4º ano do curso de Administração, o estágio apontou o caminho profissional. "Ao entrar na Fazenda, eu pude ver o que era o agronegócio. Vi a administração de uma nova forma e descobri qual é a área que eu quero trabalhar". 


Gestão da Fazenda Produtiva Lagoa do Sino


A gestão do projeto Lagoa do Sino é norteada por conceitos mais amplos de sustentabilidade - financeira, econômica e social. Do ponto de vista de sustentabilidade financeira, os responsáveis pelo Projeto buscam sempre o superávit, mapeando as despesas fixas, as despesas operacionais e quaisquer outras despesas (como seguro safra) que sejam identificáveis no processo produtivo.


Na parte ambiental, estão em andamento ações que promovam a diminuição do passivo ambiental e aumentem o monitoramento e a restauração ambiental, bem como a biodiversidade. O social busca identificar meios de transferir para a sociedade conhecimentos que promovam o bem estar econômico e social da comunidade regional e também da sociedade como um todo, reforçando o caráter extensionista da Universidade Federal de São Carlos. 


Veja reportagem em vídeo.