DOE SANGUE      SALVE VIDAS      
  • Sintonia

Unesc | Treviso foi o foco do encontro promovido pela Unesc

Atualizado: Ago 22

Belezas naturais e potencialidades econômicas despontam entre debates do Plano de Desenvolvimento Socioeconômico com lideranças de Treviso

Fonte Imprensa UNESC

Fotos Divulgação


A tarde desta quarta-feira (19/8) integrou a maratona dos profissionais da Unesc e da Unibave com foco no Plano de Desenvolvimento Socioeconômico Amrec (Associação dos Municípios da Região Carbonífera). Em mais um encontro com atenções totalmente voltadas ao debate de desafios, potencialidades e sonhos, desta vez do município de Treviso, o encontro teve entre os principais assuntos debatidos a importância do aproveitamento das belezas naturais e das potencialidades econômicas da cidade.


Por meio da metodologia liderada pelo professor Igor Drudi, dividindo os participantes em pequenos grupos de discussão e posterior compartilhamento de ideias, o encontro resultou em um compilado de informações dentro dos três principais eixos. Com o material em mãos, a equipe da Unesc e da Unibave nortearão as próximas ações do Plano, que contará, ao todo, com sete etapas de trabalho.


Este foi o primeiro, de diversos encontros, com foco na escuta qualificada de lideranças e toda a comunidade no propósito de direcionar os municípios e a região no rumo do desenvolvimento. Representando a prefeitura de Treviso, Helton da Silva agradeceu o empenho de todos na formulação de ideias para o município, em especial das instituições que lideram o processo, Unibave e Unesc.

Debate qualificado


Além das experiências pessoais e profissionais levadas por cada um dos participantes, o debate foi norteado também pelos coordenadores do Observatório de Desenvolvimento Socioeconômico, Melissa Watanabe e Thiago Fabris, que apresentaram informações econômicas sobre o município e sobre a região, além de tendências mundiais que podem auxiliar na tomada de decisões para o futuro promissor almejado.

Conforme Melissa, pesquisas nacionais e internacionais apontam para, entre outros assuntos a serem explorados, questões que já estão entre as diretrizes do Sul. “O crescimento do turismo é uma dessas tendências que se encaixa muito ao que estamos discutindo localmente. Nesse sentido é preciso estudar formas de garantir alojamentos, incentivar a criação de museus, turismo ecológico e de aventura, por exemplo, que também se mostram em destaque para o futuro próximo”, comentou.


Crescimento conjunto


A troca de ideias e compartilhamento de projetos, conforme o coordenador da Sala dos Municípios da Unesc e integrante do debate, Dorvanil Vieira, deve ser encarada como crucial para o real trabalho em conjunto e possibilidade de diversificação da economia. “Quando entendermos que precisamos focar em atividades que complementem os potenciais explorados como forma de somar e não como concorrência, poderemos avançar mais. Ao longo do tempo a tendência tem sido ver uma atividade que deu certo e investir em outra igual, o que certamente não é o caminho”, comentou.


Para o professor Roberto Spolidoro, consultor convidado a integrar os debates do Plano, entre os sonhos das comunidades de forma geral sempre irá aparecer o desejo de elevar a qualidade de vida, uma unanimidade. “Diante disso, temos que pensar também no tamanho que se sonha para a cidade. Queremos que ela continue de tamanho pequeno e médio, por exemplo, ou que cresça e dessa forma por consequência perca alguma de suas características? Essas questões fazem parte das camadas do planejamento”, explicou.

Planejamento em torno das riquezas de Treviso


Na reta final do encontro a equipe da Universidade, por meio da professora doutora Bianca Bez Batti, elencou alguns dos principais temas trazidos à tona como desafios, potencialidades e sonhos para Treviso.


No que diz respeito ao turismo, carro chefe das discussões, o grupo elencou os seguintes assuntos:


- Exploração do Agroturismo

- Exploração do Turismo Ecológico destacando as trilhas ecológicas, as belas cachoeiras, as belezas naturais de forma geral e os mais antigos pontos de escaladas, além da observação de aves na Reserva Biológica do Aguaí

- Exploração da Gastronomia italiana

- Exploração Turismo para estudo geológico com foco na Festa do Colono e Corrida Mizuno, por exemplo

- Exploração do setor de Eventos, possibilidade de ter mina de subsolo para visitação

Conforme Bianca, esses são apenas exemplos iniciais das temáticas levantadas pelos participantes e que, junto de todo o material produzido ao longo da tarde, irá integrar a pesquisa para o Plano de Desenvolvimento.


Ainda participaram do encontro a pró-reitora da Unesc, Gisele Coelho Lopes, os representantes da Unibave, parceira no projeto, Dimas Ailton Rocha, Janaina Veronezi Alberton, Ana Paula Bazo e Guilherme Doneda Zanini; as servidoras do Município de Treviso, Beatriz Ariati e Rosana Rubia Vieira Ramos; os servidores da Secretaria Municipal de Educação de Treviso, Andréia Mendonça Ramos e Anselmo Gizele Piacentini; a representante do Conselho Comunitário de segurança (Conseg), Eliane Rizzatti; o representante da Epagri de Treviso, Jaldecir Pedro Mazzorana; o representante do Instituto Alouatta, Paulo Renato Cadallóra; o representante da Câmara de vereadores, Luciano Rubens Miotelli, além dos professores e monitores da Unesc.