• Sintonia

Ranking mundial aponta melhora sensível e gradual da Unesp

Publicação anual da consultoria britânica QS analisou 1300 instituições em todo o mundo

QS World Ranking 2022 avaliou 1300 universidades de todo o mundo, sendo 27 do Brasil

Imagem: iStock


Por ACI Unesp, com informações da Comissão de Rankings da Unesp



A edição de 2022 do QS World Ranking apontou a Unesp na 492ª posição mundial e quinta do Brasil, entre 1300 universidades contempladas na lista. O resultado está uma posição acima em relação à edição anterior do ranking e revela a continuidade de uma melhora gradual que vem acontecendo desde 2017.


Entre as universidades brasileiras, a USP ficou na 121ª posição e a Unicamp em 219º lugar. A UFRJ e a Unifesp ficaram em terceiro e quarto lugar no Brasil, respectivamente. Ao todo, 27 instituições de ensino superior brasileiras integraram o ranking. Informações completas a respeito da classificação das universidades podem ser encontradas no site oficial do QS World Ranking. O QS World Ranking é organizado pela empresa britânica Quacquarelli Symonds, especializada na análise e oferta de serviços de consultoria para instituições de ensino superior em todo o mundo.


A edição deste ano do ranking apontou a Unesp entre as top 38% instituições no mundo, resultado que indica um crescimento constante desde 2017 (ver figura abaixo), apesar dos períodos de crise econômica vividos no país. Para a Comissão de Rankings da Unesp, o resultado representa uma forte resiliência da Universidade, em parte atribuída a uma política interna bem estruturada de planejamento institucional.

Crédito: QS World University Ranking
Crédito: QS World University Ranking

Metodologia

A metodologia e indicadores utilizados para classificação do ranking QS World contemplam 1) reputação acadêmica (40%); reputação do empregador (10%), relação docente/estudante (20%), citações por docente (20%), proporção de docentes internacionais (5%) e proporção de alunos internacionais (5%).


O indicador em que a Unesp teve o melhor resultado foi na reputação acadêmica (249ª posição), enquanto na proporção docente/estudante houve a maior queda em relação ao ano passado (da 479ª para a 578ª posição). Segundo a análise da Comissão dos Rankings da Unesp, a perda de posições neste parâmetro está fortemente influenciada pela interrupção na contratação docente nos últimos anos. Por outro lado, a intensificação das políticas de permanência estudantil e redução da evasão, sobretudo na graduação, causaram o aumento do número de alunos matriculados, como é possível ver no gráfico abaixo:


*não foi realizado o cálculo o Full Time Equivalent (FTE). Fonte: Anuário Estatístico da Unesp


De acordo com a presidente da Comissão dos Ranking da Unesp, professora Dulce Helena Siqueira Silva, os rankings têm ajudado a Universidade a analisar seu desempenho acadêmico e reputação em relação a universidades de perfil semelhante, não sendo, no entanto, utilizados como parametrização de políticas institucionais.


“É importante saber como as decisões internas contribuem para a melhor visibilidade e impacto da Unesp, providenciadas pelos rankings. As políticas institucionais norteiam a missão da Universidade de providenciar ensino de qualidade e realizar pesquisa de excelência, cujos desdobramentos incluem o reconhecimento de qualidade e boas classificações nos rankings”, avalia a docente, que também é assessora da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Unesp.


0 visualização0 comentário