• Sintonia

Coes divulga notas técnicas que avaliam a situação da pandemia no Distrito Federal |UnB

Os informes são publicados semanalmente na página institucional da UnB

Por Bianca Mingote*

Fonte Portal UnB



Em alinhamento com o Governo do Distrito Federal, Coes divulga documentos com dados sobra a pandemia no DF. Imagem: Reprodução


Desde a última semana de abril, o Comitê Gestor do Plano de Contingência em Saúde da Covid-19 (Coes) da Universidade de Brasília, aliado ao Governo do Distrito Federal, tem publicado notas técnicas semanais com dados que avaliam a situação sanitária da covid-19 no DF. Além de auxiliar a administração da UnB na tomada de decisões, a iniciativa visa fornecer informações aos gestores públicos que possam embasar ações de combate ao novo coronavírus. O produto é disponibilizado na página institucional da UnB.

“Identificamos que as notas técnicas curtas poderiam aumentar o interesse da sociedade [nas análises sobre a pandemia de covid-19], assim como dos gestores. Dessa forma, ficamos bem satisfeitos em mais uma vez contribuir com a sociedade do Distrito Federal”, declara o presidente do Coes e professor da Faculdade UnB Ceilândia (FCE), Wildo Navegantes.

Os informes são elaborados por professores integrantes do Coes e por uma equipe da Sala de Situação da UnB, da qual participam técnicos e estudantes da Universidade. Os dados são coletados em páginas de órgãos públicos, como do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF).

>> Relembre: Sala de Situação da UnB ganha espaço no DF e no país no enfrentamento a epidemias

Os critérios para cálculo dos dados são embasados em publicações em revistas científicas e também em parâmetros disponibilizados por órgãos oficiais de estatísticas vitais no Brasil. Com o uso de softwares especializados, são gerados gráficos que tornam a informação acessível a todos. A nota técnica número cinco foi divulgada na última quarta-feira (19).

PANDEMIA NO DF – De acordo com o informe mais recente, que avalia a situação epidemiológica do DF entre os dias 12 e 18 de maio, a taxa de ocupação em leitos de UTI de adultos está acima de 85%. Além disso, é possível obter os dados da quantidade de casos e de testes disponíveis na capital federal. A nota aponta que o número de testes para covid-19 ofertados por dia no DF está menor do que o de distribuídos no mesmo período de 2020, fator que pode ser prejudicial à detecção de infectados.

Wildo Navegantes afirma que é difícil fazer um prognóstico para o próximo semestre no DF, pois a doença está em curso, mas ressalta a importância da manutenção de cuidados e da vacinação.

“Se não aumentarmos a oferta e uso das vacinas, mantivermos as medidas de distanciamento físico, o uso de máscaras e de antissépticos, como álcool gel, água e sabão, provavelmente só arrastaremos esta doença na nossa sociedade, gerando cada vez mais sofrimento e mais tempo de fragilidade na retomada econômica”, opina.

Em cada edição, os informes também trazem orientações acerca de cuidados a serem mantidos em prol do controle do vírus. Entre eles, o uso de máscaras, o distanciamento social e a higienização frequente das mãos. Há ainda recomendações às autoridades públicas, como incentivo à vacinação, indicação de oferta maior de testes para diagnóstico da covid-19 e monitoramento e rastreamentos dos contatos com o vírus.

O COMITÊ – O Coes foi criado pelo Decanato de Assuntos Comunitários (DAC) em fevereiro de 2020, para acompanhar a evolução da pandemia no DF. Hoje, fazem parte da equipe 12 professores e uma estudante.

A atuação do comitê institucional prevê diversas ações, entre elas, realizar estudos periódicos acerca da evolução do novo coronavírus no Brasil e no mundo. Também compete ao Coes publicar informações que orientem a UnB no enfrentamento do vírus e, para este fim, são emitidos boletins informativos específicos com dados técnicos. Outra iniciativa de responsabilidade do comitê é a atualização do Plano de Contingência e o Guia de Recomendações de Biossegurança, Prevenção e Controle da covid-19 da Universidade.

*estagiária de Jornalismo na Secom/UnB


0 visualização0 comentário